Buscar
A-
A
A+
Tamanho da Fonte
print Imprimir
personEnviar para um amigo

Compartilhe com um amigo:

clear
Ops! Verifique os campos destacados acima.
COMPARTILHAR

07/08/2018

Programa Município Verde Azul desenvolve com alunos do Renascer projeto de compostagem

A compostagem orgânica do lixo pode ser feita em casa, reduz lixo, emissão de gases do efeito estufa, entre outros benefícios

A Secretaria Agricultura, Abastecimento e Meio Ambiente da Estância Turística de Santa Fé do Sul (SP) em parceria com o Programa Município Verde Azul, Secretaria de Assistência Social –CRAS (Centro de Referência de Assistência Social) e Projeto Renascer realizaram na última quarta-feira (1) um projeto piloto de compostagem para horta.

O projeto foi desenvolvido com os alunos do Projeto Renascer sob orientação do engenheiro Ambiental Marcelo Corrêa. Para a produção do composto foram utilizados os resíduos orgânicos como cascas de banana, cascas de ovos e borra de café, entre outros. Também foram utilizados resíduos orgânicos provenientes das podas de árvores que são trituradas pelo município e estrume para a compostagem e forragem dos canteiros.

Compostagem é o processo biológico de valorização da matéria orgânica, seja ela de origem urbana, doméstica, industrial, agrícola ou florestal, e pode ser considerada como um tipo de reciclagem do lixo orgânico. Trata-se de um processo natural em que os micro-organismos, como fungos e bactérias, são responsáveis pela degradação de matéria orgânica, transformando-a em húmus, um material muito rico em nutrientes e fértil. A compostagem ajuda na redução das sobras de alimentos, tornando-se uma solução fácil para reciclar os resíduos gerados nas residências.

“No processo de compostagem ocorre a decomposição da matéria orgânica, a maturação, ficando bem próximo da terra, onde finalmente torna-se composto ou fertilizante orgânico”, disse Marcelo Corrêa.

De acordo com Marcelo o composto gera uma grande melhoria nas características do solo, elevando a quantidade de nutrientes do solo, evitando o uso de fertilizantes químicos. Os alunos foram incentivados a fazer compostos em suas casas, desenvolvendo assim práticas sustentáveis. Os resultados foram positivos, o adubo foi substituído por composto, com a reutilização de resíduos do próprio Projeto Renascer,

O secretário de Agricultura Adércio Rodrigues confirmou que a compostagem apresenta uma prática simples e de fácil implantação na instituição, reutilizando de forma eficiente os resíduos do preparo de alimentos produzidos nos refeitórios e de jardinagem, contribuindo para o aumento da vida útil dos aterros sanitários.

De acordo com a coordenadora do Projeto Renascer Marlene Luiza de Almeida são atendidas cerca de 97 crianças e adolescentes. “Atendemos também  alunos da Melhor Idade, que cultivam as hortaliças para consumo próprio. As hortaliças produzidas no projeto são consumidas ali mesmo e entregues para entidades do município, e quando supre as necessidades ainda são doadas para os alunos levarem para casa”, disse Marlene.

O projeto piloto de compostagem  foi executado seguindo uma das diretivas do Programa Município Verde Azul (PMVA).