Buscar
A-
A
A+
Tamanho da Fonte
print Imprimir
personEnviar para um amigo

Compartilhe com um amigo:

clear
Ops! Verifique os campos destacados acima.
COMPARTILHAR

06/03/2018

Arrastão de combate ao Aedes aegypti retira 20 caminhões de possíveis criadouros de Santa Fé

Com o intuito de combater o mosquito Aedes aegypti, em fevereiro foi realizado o primeiro arrastão pela Secretaria Municipal de Saúde. Foram aproximadamente 16 dias úteis de trabalho, com visitação a 16 mil imóveis, entre domicílios, empresas, lotes, ranchos e sítios. Durante Com o arrastão, foram eliminados 547 criadouros do mosquito e retirados 20 caminhões de possíveis criadouros.

Segundo o Coordenador Equipe de Controle de Vetores Reginaldo Senna, os agentes orientaram os moradores sobre a importância de verificar sempre as caixas d’água, calhas, pratos de vasos de plantas, ralos, latas, garrafas, pneus e outros locais onde o mosquito pode se proliferar. “Mais uma vez comemoramos o sucesso do trabalho realizado, o arrastão é um momento de grande importância para nossa equipe, em que todos estão unidos para o mesmo fim, o combate ao mosquito”.

Além desse trabalho de eliminação de criadouros, durante esse arrastão foi realizado a nebulização (Fumacê) de toda a cidade eliminando possíveis mosquitos na fase adulta, além da orientação aos munícipes por meio de panfletos distribuídos pelos agentes de saúde.

 “Primeiramente agradeço todos os servidores que trabalharam diretamente e indiretamente no arrastão, sabemos das dificuldades enfrentadas por se tratar de um trabalho árduo e exaustivo. Agradeço também os munícipes por receberem os agentes e colaborar com o serviço. O arrastão é mais uma das ações contra o mosquito Aedes aegypti, pois, nesta época de constantes chuvas, nosso  objetivo é diminuir ou até mesmo zerar possíveis criadouros de larvas do mosquito para que o município não corra riscos de um surto da doença”, declarou o secretário Municipal de Saúde Kediel Rodrigues Alves.

O prefeito Ademir Machio disse que os números são impressionantes, pois os agentes comunitários de saúde e agentes de controle de endemias conseguiram abrir aproximadamente 86% das residências. “Esse dado demonstra o foco da equipe da Saúde na realização do serviço, uma equipe qualificada e comprometida busca garantir a saúde da população. Parabenizo e agradeço todos os funcionários envolvidos. Peço a colaboração da população no combate ao mosquito, todos nós podemos colaborar para que nossa cidade não sofra com as doenças causadas pelo Aedes aegypti”.